O currículo é o primeiro contato entre você e a empresa. 

Montar um documento que tenha, em síntese, as suas competências e habilidades parece algo bem difícil, não?

E para quem está a procura do seu primeiro estágio, o desafio é ainda maior, pois vem a temida dúvida de como preencher um documento profissional sem experiência de trabalho. 

Antes de tudo, não devemos ter vergonha disso. Afinal, todo mundo precisa de um começo. Os recrutadores, com certeza, vão considerar outros aspectos para selecionar seu currículo. 

Confira algumas dicas práticas de como deve ser um bom currículo para o primeiro estágio, indo além da experiência profissional

como-deve-ser-curriculo-primeiro-estagio - Na imagem está uma prancheta com uma folha de papel contendo um currículo e, ao lado, uma caneta e um notebook.

Primeira parte: informações pessoais

O primeiro passo é escrever um cabeçalho com informações úteis para que o recrutador tenha um “primeiro contato” com você e saiba meios para entrar em contato, caso selecione seu currículo.

Insira seu nome completo, sua idade, telefone de contato e e-mail para usos profissionais (tome cuidado com e-mails confusos ou infantis).

Também insira seu endereço (bairro e cidade já bastam)

Algumas vagas podem exigir informações específicas como, por exemplo, se o candidato possui habilitação para dirigir ou se é portador de necessidades especiais. Essas informações, se solicitadas, podem ser colocadas ao final do cabeçalho.

Devo colocar foto no Currículo? 

Adicione foto somente se for relevante para vaga ou se tiver explicitamente solicitado pelo recrutador. Caso contrário, não é necessário.

Devo citar minhas redes sociais?

Depende. Somente liste se você considerar que as postagens ali feitas vão trazer algum valor ou agreguem como portfólio para a vaga.

Se você estiver concorrendo a uma vaga para mídias sociais e seu Instagram contém fotografias ou posts relevantes para seu trabalho, você pode incluir.

O mesmo vale se você gosta de fazer postagens no Linkedin sobre assuntos com temas relevantes e pertinentes sobre o mercado de trabalho.

Caso utilize suas redes sociais apenas para uso pessoal, sem fins profissionais, não é preciso citá-las no currículo.

Dica extra: pense sobre a possibilidade de fazer um Linkedin

Com conteúdo voltado ao universo corporativo, é possível ler relatos de profissionais, suas experiências e, ainda, ter a visão da própria empresa, que também pode criar páginas para compartilhar conteúdo. Através dessa plataforma, muitas vagas são compartilhadas pelos recrutadores.

O Linkedin é a maior rede social corporativa do mundo, comprada, em 2016, pela Microsoft por US$ 26,2 bilhões.

Criar uma conta pode ser uma importante estratégia para acompanhar as tendências do mercado de trabalho.

Com um conteúdo corporativo, o Linkedin é um espaço onde os profissionais e as empresas compartilham informações sobre as suas vivências e práticas.

Segunda parte: defina seu objetivo

Essa parte pode ser determinante para definir se o recrutador vai passar reto pelo seu currículo ou se vai ler com mais atenção. Pesquisas apontam que os recrutadores eliminam um currículo em até 10 segundos

É importante que você tenha em mente que o recrutador está preocupado em atender os interesses da empresa, que busca por um estagiário.

Portanto, ao descrever seus objetivos profissionais, priorize falar sobre como você pode contribuir com a empresa, não em como a empresa vai ajudar você.

O objetivo do seu currículo vai ser composto por, aproximadamente, quatro frases:

  1. Para começar, é importante colocar em prática o seu poder de síntese. Em uma frase curta e simples, descreva qual graduação você está cursando, em qual instituição e semestre;
  2. Depois, em uma frase, também curta e simples, cite as conquistas mais relevantes que você já teve na sua vida até o momento. Vale citar intercâmbio, trabalho voluntário, participação na organização daquele evento do diretório acadêmico da faculdade, premiação em campeonatos esportivos, premiação na feira de ciências do ensino médio, os anos de participação no grupo de escoteiros, entre outras;
  3. Especifique a hierarquia do cargo que você quer assumir, no caso, estágio, e a área da empresa que você quer atuar (preferencialmente a mesma área da vaga disponibilizada para a qual você está concorrendo);
  4. Relacione as habilidades que você desenvolveu nas suas conquistas com a vaga que você almeja, dizendo como elas podem melhorar os resultados da empresa. Trabalho em equipe, empatia, disciplina e perseverança são bons exemplos de habilidades que você pode extrair de todas pequenas coisas que você já fez na vida e que podem despertar interesse do recrutador.

terceira-parte-educação - A imagem tem dois planos. No primeiro plano aparece uma sequência de livros empilhados verticalmente. Ao fundo, está uma estante desfocada com vários livros.

Terceira Parte: Educação

Como você ainda não tem experiência profissional, sua bagagem de estudos é algo que pode chamar atenção do recrutador.

Aqui, descreva a graduação que você cursa com um pouco mais de detalhe, citando: curso, instituição, semestre atual, ano de início e previsão de conclusão.

Você pode listar outras vivências de educação, caso você ache que elas merecem destaque e têm relação com a vaga, como, por exemplo, se você estudou numa escola técnica ou bilíngue durante o ensino médio.

Você deve começar citando a mais recente e, em seguida, as mais antigas.

Quarta parte: Experiência

Está enganado quem acha que experiência só se adquire trabalhando com contrato formal. Você pode se desenvolver profissionalmente participando de atividades como organização de eventos ou trabalho voluntário. 

Para todas experiências que você for listar, cite:

  • Atividade: se você atuou como voluntário, ajudando no comércio da sua família, ou mesmo se ajudou na organização de uma palestra na sua instituição de ensino.
  • Instituição ou local: onde ou pra quem você fez isso.
  • Data: mês e ano de início e fim.
  • Responsabilidades e conquistas: esse é o ponto mais chave da parte de experiências. Pense de que forma você pode descrever aquele trabalho (que você talvez nem achasse muito significativo, mas que, com certeza, ajudou muito alguém) na forma de conquistas. 

Compare essas duas descrições sobre as atividades feitas na organização de uma palestra pra uma instituição de ensino:

I) “Auxílio na organização do evento, divulgação nas redes sociais, contato com palestrantes externos.”

II) “Atuação direta no agendamento de três palestrantes de outras cidades e um palestrante internacional para o evento e na estratégia de divulgação da palestra, alcançando 20% mais público que o ano anterior”

Quando escrevemos pensando em explicitar nossas conquistas, transformamos essas experiências em resultados concretos, passando muito mais confiança e credibilidade ao recrutador.

No meio de tantos currículos que um recrutador recebe por dia, essa abordagem pode ser o seu diferencial. 

quarta-parte-conhecimento-específico - Na foto, uma mão masculina mexe em um notebook preto. Ao seu lado está outro notebook, na cor prata.

Quinta parte: conhecimento específico

Você já ouviu falar em hard skills e soft skills? Basicamente, hard skills são conhecimentos técnicos e habilidades específicas para determinada atividade, como domínio de softwares profissionais da área de atuação. 

Bons exemplos de hard skills são domínio em gestão financeira e do sistema SAP para os estudantes de administração.

Você deve citar as hard skills diretamente no seu currículo, pois elas podem ser o seu diferencial. 

Já as soft skills são habilidades ligadas ao comportamento, como o gerenciamento de conflitos, organização e resiliência. Elas são muito importantes para todas áreas de atuação.

Todavia, é recomendado que você não cite essas habilidades diretamente. Procure associar soft e hard skills dentro de um contexto. 

Por exemplo: Liderei uma campanha de vendas e, junto com minha equipe, trouxe 60% de crescimento para a empresa. 

Você citou uma soft skill (liderança) e fez uma associação direta com uma experiência concreta.

Sexta parte: Informações adicionais

Aqui é o momento de colocar informações como domínio de idiomas, aquele curso que você fez pela internet, workshop que você participou e hobbies e interesses, se forem relacionados à vaga.

Formatação do Currículo

Antes de qualquer coisa, é preciso ter em mente que o seu currículo deve ter legibilidade. 

A mensagem que ele passa deve ser direta e de fácil compreensão para o recrutador. Por isso, procure fontes tradicionais, não estilizadas, ao escrever seus dados.

Opte também por não inserir figuras ou letras coloridas.

Porém, há exceções.

Se você está se candidatando para uma vaga criativa: nesse caso, vale elaborar um currículo mais “estiloso”, já que suas habilidades artísticas também serão avaliadas. 

Contudo, tome cuidado. Vale a mesma dica anterior: procure fazer com que as informações sejam, de fato, o destaque do seu currículo. 

Dicas Gerais

1) Não minta no currículo

Em hipótese alguma minta no currículo e na entrevista. Recrutadores são profissionais e, facilmente, conseguem detectar inconsistências nas falas dos candidatos. 

Além disso, o conhecimento sobre o qual você mentiu pode ser testado logo ali na frente, queimando sua relação com os colegas de trabalho.

2) Adapte seu currículo conforme a vaga

Não tenha um único currículo para todas as vagas: a cada vaga, identifique o perfil da empresa e o da vaga, ajustando o destaque que você dá a cada informação para cada processo seletivo.

3) Cuidado no envio do currículo

Ao enviar seu currículo ao recrutador, seja gentil e cordial com o recrutador e evite falar de forma informal. Não tenha uma mensagem padrão para todas as vagas que você se candidata.

Apresente-se, diga onde você conheceu a vaga, realce que você atende a todos requisitos (se for o caso) e diga porque você se identificou com a vaga e com a empresa.

4) Revise as informações

Antes de finalizar seu currículo, revise-o. Confira se os dados estão corretos, principalmente dos seus telefones para contato, e, também, a ortografia.

Também evite títulos como “currículo” ou "curriculum vitae”. Uma dica para título é escrever seu nome em caixa alta e centralizado e, logo abaixo, uma pequena descrição sobre a sua ocupação, como “estudante de sistemas para internet”. 

Conclusão

Com essas dicas, você estará preparado para montar um currículo bacana para o primeiro estágio, que vai atrair a atenção dos recrutadores.

Lembre de sempre de ser sincero nas informações e nunca mentir sobre suas experiências e habilidades.

Procure ainda ser conciso, pois seu currículo precisa chamar a atenção do recrutador que, muitas vezes, não tem tempo hábil para ler textos muito longos.

Se você gostou dessas dicas, aproveite também para ler o artigo sobre 12 conhecimentos indispensáveis para seu futuro profissional e acompanhe as novidades do blog EAD UNIARP. 

New call-to-action

Inscreva-se

New call-to-action
O que você achou dessa publicação?
Deixe seu comentário aqui.
BUY On HUBSPOT