<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=2736481836612313&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

 Tags: Ensino Superior

Muitas pessoas se perguntam: tem como entrar na faculdade sem vestibular?

A resposta é sim!

Neste artigo, vamos te explicar um pouco mais sobre o Sisu e o Prouni, dois programas do governo que utilizam como critério de seleção o seu desempenho no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio).

Ainda vamos mostrar que é possível conseguir descontos diretamente com as instituições de ensino particulares.

Acompanhe o nosso artigo e saiba mais sobre como entrar no ensino superior sem passar pelo vestibular.

Enem: histórico e importância

O Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) é uma das principais portas de entrada para o ensino superior.

Criado em 1998, a prova tinha como objetivo principal avaliar o desempenho dos estudantes do ensino médio.

Mas, com o tempo, a nota começou a ser utilizada para o ingresso em programas de acesso ao ensino superior, como o Sisu e o Prouni. 

Normalmente, o Enem é aplicado no mês de novembro. Em 2020, devido a pandemia do Coronavírus, a prova foi adiada e realizada somente em janeiro e fevereiro de 2021.

As provas ocorrem em dois domingos consecutivos e os candidatos precisam consultar, no portal oficial, os locais de prova.

O exame é constituído por quatro provas objetivas e uma redação em língua portuguesa. Cada prova objetiva tem 45 questões de múltipla escolha. A redação deve ser escrita à mão, com caneta preta, em uma folha específica.

o-que-cai-no-enem - Descrição da imagem: estudante escrevendo com lápis em uma folha branca.

O que “cai” no Enem?

As quatro provas do Enem são divididas por áreas de conhecimento que, por sua vez, englobam as disciplinas regulares, que estudamos na escola.

Confira a tabela de correspondências:

Provas do Enem por Área do conhecimento Disciplinas correspondentes
Linguagens, códigos e suas tecnologias e redação
  • Língua portuguesa
  • Literatura
  • Língua estrangeira (espanhol ou inglês)
  • Artes
  • Educação Física
  • Tecnologias da Informação e Comunicação
Ciências humanas e suas tecnologias
  • História
  • Geografia
  • Filosofia
  • Sociologia

Ciências da natureza e suas tecnologias
  • Química
  • Física
  • Biologia

Matemática e suas tecnologias
  • Matemática

A prova do Enem é analisa a capacidade do estudante em aplicar competências e habilidades, desenvolvidas e construídas ao longo do ensino médio. 

O Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), órgão responsável por aplicar o Enem, utiliza uma Matriz de Referência para elaborar as provas. 

Essa Matriz espera dos estudantes as seguintes competências:

I. Dominar linguagens (DL): dominar a norma culta da Língua Portuguesa e fazer uso das linguagens matemática, artística e científica e das línguas espanhola e inglesa.

II. Compreender fenômenos (CF): construir e aplicar conceitos das várias áreas do
conhecimento para a compreensão de fenômenos naturais, de processos histórico geográficos, da produção tecnológica e das manifestações artísticas.

III. Enfrentar situações-problema (SP): selecionar, organizar, relacionar, interpretar
dados e informações representados de diferentes formas, para tomar decisões e
enfrentar situações-problema.

IV. Construir argumentação (CA): relacionar informações, representadas em diferentes formas, e conhecimentos disponíveis em situações concretas, para construir argumentação consistente.

V. Elaborar propostas (EP): recorrer aos conhecimentos desenvolvidos na escola para elaboração de propostas de intervenção solidária na realidade, respeitando os
valores humanos e considerando a diversidade sociocultural.

Quem pode fazer o Enem?

Qualquer pessoa que já concluiu o ensino médio ou que está no ensino médio pode fazer o Enem.

Muitos estudantes que estão no primeiro ou no segundo ano do ensino médio fazem o Enem para “treinar” o desempenho na prova.

Porém, é importante ressaltar que, sem o ensino médio completo ou em fase de conclusão, não é possível ingressar no ensino superior. 

Essa situação deve ser assinalada na hora de inscrição, marcando a opção de "treineiro".

A nota do "treineiro "é divulgada após a nota dos estudantes que estão fazendo o Enem “pra valer”. Fique atento ao cronograma, divulgado no site do Ministério da Educação (MEC).

E o Enem Digital?

Nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro, ocorreu a aplicação do projeto-piloto do Enem Digital.

O objetivo do Ministério da Educação é que, até 2026, o Enem deixe de ser aplicado em provas físicas e passe a ser realizado em computadores, com exceção da redação.

Mas o Enem Digital não exime a obrigatoriedade do candidato se deslocar até os locais de aplicação da prova. O sistema segue o mesmo do Enem tradicional, que é  impresso.

O Enem Digital possibilita uma economia com a impressão de papel e, com isso, um impacto ambiental positivo.

Além disso, será possível utilizar novos tipos de questões com vídeos, infográficos e até com lógica dos games, explorando a interatividade.

Como funciona a correção do Enem?

Tanto o Enem impresso, quanto o digital tem o mesmo sistema de correção: a Teoria de Resposta ao Item (TRI).

Essa teoria minimiza os "chutes" e a avalia as habilidades dos estudantes, classificando as questões por níveis de dificuldade (fáceis, médias e difíceis). 

Um candidato com um certo nível de proficiência tende a acertar as questões que tenham um nível de dificuldade menor que o de sua proficiência e errar aqueles com nível de dificuldade maior. Sua nota será baseada no seu padrão de acertos.

Assim, a nota de um candidato que acertou mais questões classificadas como "fáceis" e "médias", mas errou as "difíceis", será maior do que o candidato que errou as questões "fáceis" e "médias", mas acertou as "difíceis.

O Sisu: vagas em Instituições Públicas de Ensino

Com a nota do Enem, é possível participar do Sisu (Sistema de Seleção Unificada).

O Sisu contempla vagas em Universidade Públicas. 

Algumas, inclusive, aboliram o tradicional vestibular e o único meio de ingresso é através do programa. Outras, utilizam o Sisu como processo complementar.

Para participar, o candidato deve ter feito a última edição do Enem, não podendo ser "treineiro" e nem ter zerado a redação, que vale mil pontos.

A inscrição é totalmente on-line, feita no site do programa.

No sistema, o candidato escolhe até duas opções de curso. É possível alterar suas opções durante as inscrições.

Conforme o site oficial, as vagas serão distribuídas obedecendo a Lei de Cotas (Lei 12.711/2012) e, como política de ações afirmativas, algumas instituições oferecem vagas reservadas e outras adotam bônus na nota do candidato.

Além disso, há alguns critérios específicos:

1. Pesos diferentes:

A universidade pode optar por adotar o critério de pesos diferentes.

Mas, o que isso significa?

Alguns cursos podem dar mais peso para determinadas notas, conforme as exigências.

Exemplo: o curso de letras poderá dar mais peso para as notas das provas de Linguagens, códigos e suas tecnologias e redação.

Assim como o curso de biologia poderá dar mais peso para a nota da prova de
Ciências da natureza e suas tecnologias. 

2. Média Mínima

Alguns cursos exigem uma média mínima no Enem. Por exemplo, o curso de medicina pode exigir média mínima de 600 pontos.

Lembrando que, para calcular sua média na prova, você deve: 

a) somar todas as notas obtidas nas provas do Enem:
  • ciências da natureza e suas tecnologias;
  • ciências humanas e suas tecnologias;
  • linguagens, códigos e suas tecnologias
  • matemática e suas tecnologias
  • redação (valendo mil pontos)

b) dividir o resultado da soma por cinco
3. Nota Mínima

Também é possível que a Instituição de Ensino adote o sistema de Nota Mínima, em determinada prova, como critério para concorrer numa vaga. 

Utilizando o mesmo exemplo acima, o curso de medicina pode exigir nota mínima na prova de Ciências da Natureza igual ou maior a 500 pontos.

A Nota de Corte

A nota de corte é a menor nota para ficar entre os selecionados na modalidade escolhida em um determinado curso.

Vamos supor que sua média no Enem foi de 780 pontos. Você deseja ingressar no curso de Biomedicina na Instituição de Ensino X, cuja nota de corte é 650. Conforme os parâmetros, a vaga será sua.

Mas, cuidado! A função da nota de corte é de caráter informativo, uma vez que ela é atualizada diariamente, não em tempo real.

Assim, estar acima da nota de corte não é garantia de conseguir, de fato, a vaga. Pois, ao longo do dia, novas pessoas podem se inscrever para a mesma modalidade do que você, aumentando a nota de corte.

Nossa dica é: acompanhar diariamente o processo até ele ser finalizado.

Os candidatos serão selecionados conforme a maior nota do Enem, seguindo o número de vagas disponibilizadas para cada modalidade nos cursos.

O Prouni: vagas em Instituições Particulares de Ensino

Além do Sisu, outro programa que é possível ingressar com a nota do Enem é o Prouni.

O Prouni (Programa Universidade Para Todos) foi criado pelo Governo Federal, em 2004, e tem como objetivo selecionar estudantes para bolsas em instituições particulares de ensino.

As bolsas podem ser de dois tipos:

Integral - destinada para estudantes com renda bruta familiar de até 1,5 salário mínimo por pessoa.

Parcial (50%) - destinada para estudantes com renda bruta familiar de até 3 salários mínimos por pessoa.

Porém, para participar, os estudantes devem cumprir alguns critérios:

  • ter média igual ou superior a 450 pontos no Enem;
  • não ter zerado a redação, que vale mil pontos.
As bolsas do Prouni são destinada para os seguintes grupos:
  • estudantes que cursaram todo o ensino médio em escola pública;
  • estudantes que cursaram todo o ensino médio em escola particular com uma bolsa integral;
  • estudantes que cursaram parte do ensino médio na rede pública, e a outra parte no ensino particular como bolsista integral;

Também podem participar:

  • Professores da educação básica que trabalham em instituições públicas. Nesse caso, não é necessário comprovar renda, mas o estudante pode concorrer apenas para bolsas de cursos de licenciatura.
  • Estudantes com deficiência, independente do local onde cursaram o ensino médio (instituições públicas ou privadas).

Como são as inscrições no Prouni?

Assim como o Sisu, as inscrições são totalmente on-line e gratuitas, sem taxas.

O estudante escolhe duas opções de curso, conforme disponibilidade e preferência.

Essas opções podem ser modificadas ao longo do processo.

No Prouni, também é possível acompanhar a nota de corte, que, como explicamos anteriormente, é uma referência que mostra a pontuação mínima para ingressar num determinado curso.

Resumidamente, a nota de corte representa a média do último selecionado para aquela bolsa.

Etapa de Seleção

Quando o estudante consegue a bolsa de estudos para a qual se inscreveu, o Prouni o denomina como “pré-selecionado”.

Isso porque, a partir daí, ocorre uma das etapas mais importantes no processo de seleção: a comprovação dos documentos.

Quando o candidato é pré-selecionado, ele deve entregar para a instituição de ensino a documentação que comprove as informações descritas na inscrição.

Há um prazo máximo para a entrega desses documentos. Se esse prazo não for cumprido, o estudante perde a bolsa e a sua vaga será oferecida posteriormente, em uma nova chamada do Prouni.

Alguns dos documentos que o Prouni solicita, são:

  • Documentos de Identificação do Candidato e dos membros do grupo familiar;
  • Comprovantes de residência;
  • Comprovantes do ensino médio;
  • Comprovantes de rendimentos.

Confira a lista completa dos documentos.

Descontos com as Instituições de Ensino.

Diversas instituições de ensino particulares oferecem bolsas e incentivos para o estudante.

No EAD UNIARP, por exemplo, você pode ingressar mediante análise do seu histórico escolar do ensino médio e ganhar bolsa de 20%.

Ainda, é possível utilizar a nota do Enem e ganhar descontos, que variam conforme a média da prova. Saiba mais sobre os benefícios no edital do EAD UNIARP.

E tem mais: o EAD UNIARP está promovendo a MEGA AÇÃO.

Na MEGA AÇÃO, você garante 80% off na primeira mensalidade e, ainda, desconto de 40% no semestre, além de outros benefícios.

Ficou interessado? Então, aproveite essa oportunidade para estudar com qualidade pagando menos e inscreva-se já! 

INSCREVA-SE

New call-to-action

Inscreva-se

New call-to-action
O que você achou dessa publicação?
Deixe seu comentário aqui.
BUY On HUBSPOT